Reforma da E.E. Silveira Brum: manifestação cobra esclarecimentos sobre suspensão da obra

O superintendente de ensino, Sandro Carrizo falou com os pais e alunos

Uma manifestação foi realizada nesta quinta-feira (21) em protesto pela suspensão da reforma da Escola Estadual Silveira Brum, uma das mais tradicionais e respeitadas instituições de ensino da região, localizada no centro de Muriaé. A obra foi iniciada no início de setembro de 2018, porém, os trabalhos foram paralisados quatro dias depois, devido a necessidade de adequações no projeto.

Funcionários da escola, que tem 106 de história, e pais de alunos se concentraram na Praça João Pinheiro, de onde saíram em passeata até a sede da Superintendência Regional de Ensino (SRE) de Muriaé, na rua Getúlio Vargas, próximo à avenida Constantino Pinto.

Foi cobrado também o fim da reforma que mal foi iniciada e estaria embargada, pois precisaria atender normas, como a do Corpo de Bombeiros. A passeata começou na Praça João Pinheiro e terminou na porta da Superintendência de Ensino, e contou com o apoio da Polícia Militar para maior segurança de todos no trânsito da tarde na cidade.

Há praticamente sete meses, desde o início da obra, os mais de 700 alunos do Silveira Brum, que residem em diversas regiões da cidade, estão distribuídos em duas instituições estaduais de ensino no bairro São Francisco, sendo elas: E.E. Padre Maximino Benassati e Centro Estadual de Educação Continuada (CESEC).

Durante ato em frente à sede da Superintendência, o Diretor educacional da SRE, Sandro Carrizo, distribuiu nota oficial do órgão com informações sobre a paralisação da obra e usou o sistema de som dos manifestantes para falar sobre a situação.
Foi cobrado também o fim da reforma que mal foi iniciada e estaria embargada, pois precisaria atender normas, como a do Corpo de Bombeiros.

Nos discursos, os pais cobram uma posição concreta do que acontece, pois a escola tem 700 alunos que estão espalhados em duas escolas do bairro São Francisco, a Maximino Benassati e a Bias Fortes (CESEC). Para complicar ainda mais, a parte administrativa ficou no prédio do Silveira Brum, localizado no Centro de Muriaé. A escola tradicional possui 70 funcionários.

A passeata começou na Praça João Pinheiro e terminou na porta da Superintendência de Ensino, e contou com o apoio da Polícia Militar para maior segurança de todos no trânsito da tarde na cidade.

Confira a nota da Superintendência Regional de Ensino de Muriaé

Administração Fazendária de Muriaé faz a Blitz Educatiza do IPVA 2019

A Administração Fazendária e a Delegacia Fiscal de Transito de Muriaé, em parceria com a Policia Militar, realizaram uma Blitz Educativa informando a importância do recolhimento do Imposto sobre Propriedade de Veículos Automotores (IPVA) e reforçando o fim do prazo para o pagamento sem multa e juros.

Formas de pagamento: O pagamento do IPVA pode ser feito diretamente nos terminais de autoatendimento ou guichês dos agentes arrecadadores autorizados – Bradesco, Mercantil do Brasil, Caixa Econômica Federal, Casas Lotéricas, Mais BB, Banco Postal, Santander e SICOOB. Basta informar o número do Renavam do veículo.

Para pagamento em casas lotéricas, Mais BB e Banco Postal é necessário levar a guia de arrecadação, que deve ser emitida pelo site da Secretaria de Estado de Fazenda de Minas Gerais (www.fazenda.mg.gov.br) ou nas Repartições Fazendárias.

O não pagamento do IPVA nos prazos estabelecidos gera multa de 0,3% ao dia (até o 30º dia), e de 20% após o 30º dia. Os juros são calculados pela taxa referencial do Sistema Especial de Liquidação e Custodia (Selic) e incidem sobre o valor do imposto ou das parcelas, acrescido da multa.

Os contribuintes que deixaram de quitar alguma parcela podem fazer o pagamento normalmente – os valores serão atualizados automaticamente. Taxa de Licenciamento: A Taxa de Renovação do Licenciamento Anual de Veículo (TRLAV), cujo valor é de R$ 102,41, vence no dia 1º de abril.

Servidores públicos estaduais: O pagamento do IPVA 2019 para os servidores públicos do Poder Executivo estadual – militares e civis (ativos ou inativos) e pensionistas – poderá ser feito até 30 de abril de 2019, tanto em cota única, com desconto de 3%, ou parcelado em três vezes, sem desconto. No caso de parcelamento, as parcelas poderão ser pagas em qualquer data, até 30 de abril. O veículo deverá estar em nome do servidor/pensionista.

Para quitar o débito, basta o servidor se dirigir a um agente arrecadador (bancos credenciados) e apresentar o número do Renavam do veículo ou, se preferir, emitir a guia de arrecadação no site da SEF/MG.

A prorrogação do pagamento do IPVA não abrange a Taxa de Licenciamento (TRLAV 2019), cujo vencimento permanece para o dia 1º de abril.

Alerta: A SEF/MG alerta que não envia nenhum tipo de boleto ou guia para os endereços dos contribuintes, assim como mensagens de celular ou de aplicativos de relacionamento contendo links para pagamento. Caso receba, o contribuinte deve ignorar.

Ações da PM tem menor apreendido por ameaça e apreensão de drogas

Policiais militares foram acionados para deter um adolescente de 14 anos de idade, que teria invadido uma escola, pelo pátio e estaria ameaçando uma aluna com uma faca. Ele inicialmente foi contido pelos educadores e em seguida com a presença de sua mãe, fugiu do local indo pra casa. A PM esteve na casa do jovem e recolheu a faca e felizmente nada de grave ocorreu na escola. Uma possível arma foi também procurada na casa de um colega do menor, e lá foram encontradas quatro pedras de crack e uma balança de precisão. O adolescente que entrou na escola ficou acautelado à disposição da Justiça.

Aneel quita empréstimo, e tarifa de energia ficará, em média, 3,7% mais barata

O diretor-geral da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), André Pepitone, anunciou que as contas de energia ficarão, em média, 3,7% mais baratas em 2019 e 1,2% em 2020.

Isso será possível porque o governo e a agência fecharam acordo com bancos para antecipar a quitação de um empréstimo feito em 2014 para ajudar as distribuidoras de energia a pagar o custo extra gerado pelo uso mais intenso de termelétricas.

Naquele ano, o país sofreu com a falta de chuvas, que reduziu drasticamente o nível dos reservatórios de hidrelétricas, e foi preciso acionar mais usinas térmicas. O problema é que a energia gerada por elas é mais cara, porque o processo é feito por meio da queima de combustíveis como óleo e gás natural.

Em 2015, a Aneel informou que o empréstimo para socorrer as distribuidoras custaria R$ 34 bilhões aos consumidores. Desse total, R$ 12,8 bilhões se referiam a juros. Desde aquele ano, vem sendo cobrado um valor adicional nas contas de luz de todos os brasileiros para pagar as parcelas do empréstimo. A previsão inicial era de que ele fosse quitado em 2020. Em 2015, a agência estimava que essa cobrança provocaria um aumento de cinco a seis pontos percentuais nas contas de luz. Com a quitação antecipada do empréstimo, os consumidores deixarão de pagar R$ 6,4 bilhões nas contas de luz em 2019. É isso que fará com que as contas de luz fiquem, em média, 3,7% mais baratas.

Para 2020, a previsão é que os consumidores deixem de pagar R$ 2 bilhões nas tarifas de energia, o que permitirá uma redução média de 1,2% nas tarifas.

Fonte – agencia de noticias

Projeto que diminui número de vereadores é retirado de pauta; Reginaldo Roriz apresentou emenda propondo redução na verba repassada à Câmara

Previsto para ser votado em primeiro turno, na reunião ordinária de terça-feira (19), da Câmara Municipal de Muriaé, o projeto de lei que prevê redução no número de vereadores da cidade foi retirado de pauta e poderá ser apreciado na próxima semana. O texto original da matéria reduz o número de cadeiras no Legislativo de 17 para 11. O projeto recebeu três emendas. Uma delas, de autoria do vereador Reginaldo Roriz (PSD), propõe redução também na alíquota de repasse do Poder Executivo à Câmara, proporcionalmente à diminuição de cadeiras na Casa Legislativa. Caso as alterações propostas sejam aprovadas, serão válidas para a próxima legislatura (2021-2024). Por se tratar de uma proposta de alteração à Lei Orgânica do Município, para ser aprovado o projeto precisa de voto favorável de ao menos 12 dos 17 vereadores (2/3). Com a retirada de pauta, também não houve votação das emendas.O vereador Sargento Joel (PMDB) não compareceu à sessão e, em entrevista após a reunião, Roriz disse que como a matéria exige quórum qualificado, o presidente da Câmara, vereador Davi Lacerda (DEM), teria retirado o projeto de pauta no intuito de que a votação do mesmo seja realziada com todos os vereadores presentes.

Projeto “Tirando de letra” na Mário Macedo

A Escola Estadual Professor Mário Macedo, do bairro da Barra, realizou , o lançamento do projeto de leitura “Tirando de Letra” e na oportunidade recebeu o jovem escritor muriaeense, Vinicius Levate, autor do livro “A voz da minha cadeira”, o qual teve uma conversa com os estudantes sobre seu livro. A escola enfatizou: “Grandes leitores, grandes escritores”. Toda a comunidade escolar está envolvida no projeto.