PACE voltou a receber doadores na segunda Campanha de coleta de sangue

O Posto Avançado de Coleta Externa (PACE) realizou com sucesso a sua segunda campanha de doação de sangue de 2018. De acordo com a coordenadora do PACE Illen Nara Rodrigues a campanha é realizada no município a cada 15 dias. Segundo ela, o foco é reforçar o estoque do banco de sangue que abastece diversas unidades da saúde de Muriaé e região. O PACE funciona dentro da Policlínica Doutor Biaggio Montesano, no bairro Safira.. Conforme recomendação do Ministério da Saúde, podem doar sangue cidadãos com boa saúde, entre 16 e 67 anos, e peso acima de 50 quilos. O doador não pode ter ingerido bebida alcoólica nas últimas 12 horas, não pode ter tido hepatite após os 11 anos de idade, e nem ter sofrido doença de Chagas. A próxima coleta será realizada no dia 07 de março próximo. As doações podem ser feitas no horário de 07h30 às 14hs30, sem intervalo para almoço. Mais informações pelos telefones: (32)3729-1224 e (32) 3729-3723.

PTB decide avaliar novo nome para Ministério do Trabalho

Diante da demora de o Supremo Tribunal Federal (STF) decidir o impasse sobre a posse de Cristiane Brasil, o PTB decidiu avaliar outro nome para o Ministério do Trabalho. Segundo um integrante do partido, em dois dias pode ser feita uma nova indicação, de um técnico ligado à legenda. Petebistas já conversaram sobre o tema com o presidente do PTB, Roberto Jefferson, pai de Cristiane, e ele também já estaria convencido de que não haveria mais condições para insistir na posse da deputada. Assessores do presidente Michel Temer disseram que, por enquanto, o Palácio do Planalto ainda não foi informado de nenhuma decisão do partido aliado. A equipe de Temer destaca, porém, que esse é realmente o melhor caminho agora. Principalmente porque, a partir de agora, o Palácio do Planalto não vai mais precisar aprovar emendas constitucionais no Congresso. Com isso, a dependência do presidente de seus aliados vai diminuir. O Planalto tem pé atrás porque outras vezes chegou a ser cogitada essa possibilidade, mas o partido recusou.

Rodrigo Maia afasta Paulo Maluf do mandato de deputado federal

Plenário 1
Comissão de Constituição e Justiça
Reunião Ordinária
Dep. Paulo Maluf
Foto: Janine Moraes
08.06.2010

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), afastou o deputado Paulo Maluf (PP-SP) do mandato parlamentar. O despacho foi publicado em edição extra do “Diário da Câmara”. Maluf está preso desde dezembro do ano passado por determinação do Supremo Tribunal Federal (STF). Ao decidir pelo afastamento, Rodrigo Maia afirma que a prisão de Maluf, condenado a 7 anos e 9 meses de reclusão, “inviabiliza, por prazo superior a cento e vinte dias, o regular exercício do mandato parlamentar”. Atualmente, Maluf cumpre pena em regime fechado no Complexo Presidiário da Papuda, em Brasília. Com o afastamento, a Câmara deverá convocar Junji Abe (PSD) para assumir a vaga como suplente.

Mudança na tarifa pode deixar mais barata conta de luz de quem usa menos energia

Consumidores que têm poucos eletrodomésticos e por isso usam menos energia podem passar a pagar uma conta de luz mais barata. É o que prevê uma proposta em discussão na Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). A ideia é que passe a vigorar para consumidores de todas as classes a chamada tarifa binômia. Já disponível para grandes indústrias, ela estabelece faixas de cobrança pelo serviço de distribuição – que é a construção e manutenção da rede que leva a energia até as casas e as empresas. O custo do serviço de distribuição, a chamada “tarifa fio”, representa cerca de 30% do total pago nas contas de luz. Esses recursos servem para remunerar as distribuidoras pelo uso da rede. Hoje, casas ou lojas que consomem muita energia pagam, pelo serviço de distribuição, o mesmo valor que outras que usam pouca. Com a tarifa binômia, a lógica é que os grandes consumidores passem a pagar mais pelo serviço porque exigem um maior investimento das distribuidoras para atender à sua demanda. E, quem usa menos energia, pagaria menos.

“Se você tem dois consumidores, você tem uma demanda declarada de X e o seu vizinho de metade de X, hoje vocês pagam a mesma tarifa, mas certamente a rede da distribuidora levou em consideração a carga de vocês dois. Você demandou mais de força da rede do que o seu vizinho, então você pagará mais a tarifa de fio do que o seu vizinho”, explicou o diretor-geral da Aneel, Romeu Rufino. A proposta ainda não tem data para ser votada na Aneel, mas os estudos já estão sendo feitos. A agenda regulatória da agência prevê a abertura de audiência pública sobre a tarifa binômia, que é essa cobrança diferenciada, já no segundo semestre de 2018. A votação da proposta está prevista para 2019.

Maia diz que ‘fica difícil’ votar Previdência esta semana

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), disse que “fica difícil” votar a reforma da Previdência nesta semana, como estava inicialmente previsto, se o decreto de intervenção federal na segurança do Rio de Janeiro estiver na pauta do Congresso. “Se está na pauta a votação de um decreto que veda a tramitação constitucional, você está dizendo que na próxima semana fica difícil votar qualquer emenda constitucional, inclusive a da Previdência”, disse. Maia afirmou que também é “difícil” adiar o início da discussão da reforma da Previdência para março. Ele reiterou que a última semana de fevereiro é o momento para se tentar votar a proposta. “Essa é uma pauta de fevereiro, eu tenho trabalhado que seja possível [votar neste mês]”, afirmou. “Acho difícil [jogar para março]. Acho que a última semana de fevereiro é o limite para constituir votos para votar a Previdência”, frisou. Para ele, haverá um certo “desconforto” entre os parlamentares empurrar a reforma para março por se tratar de um ano eleitoral. “Não posso exigir que deputados, num ano eleitoral, já entrando março ou abril, você introduza um debate onde 60% é contra e 27% a favor (da reforma da Previdência)”

Protesto pacífico no distrito de Vermelho pede liberação urgente das casas populares do Condomínio Vermelho II

Manifestação pacífica no Conjunto Habitacional Vermelho II, no distrito de Vermelho (6 Km de Muriaé) aconteceu com o objetivo de cobrar das autoridades a liberação de mais de 500 casas populares do programa Minha Casa, Minha Vida, do Governo Federal, que segundo os futuros moradores estão se deteriorando a cada dia, e que se continuar assim, depois ficarão difícil de serem ocupadas