Prefeito assina convênio para a construção de mais casas populares

Em reunião realizada no Centro Administrativo, a Prefeitura de Muriaé e o Banco do Brasil (BB) firmaram convênio para a construção de até 617 novas moradias populares no distrito de Vermelho. Além de representantes das duas instituições, o encontro teve ainda as presenças do deputado federal Renzo Braz, do vereador Devail Corrêa e de sócios-proprietários da empresa SRQ Construções, que ficará responsável pelas obras.

Ao contrário dos projetos anteriores do programa “Minha Casa, Minha Vida” no município, deverão ser construídas apenas casas – o Residencial Nova Muriaé, inaugurado em 2010, conta com 76 sobrados de dois andares, enquanto o conjunto habitacional que está sendo erguido no bairro Dornelas II terá 10 prédios de quatro pavimentos. As novas moradias serão destinadas a famílias com renda de até três salários mínimos.

– A Prefeitura irá fazer o cadastro de famílias e enviar a listagem ao Banco do Brasil. A palavra final sobre os contemplados pelas casas será do banco – explica o prefeito.

A expectativa é que as obras comecem já nos próximos dias. A novidade é que, desta vez, as casas terão aquecedores solares, permitindo a economia de energia elétrica. O projeto, orçado em R$32 milhões, prevê ainda a construção de uma área de convivência para os futuros moradores do conjunto habitacional.

BB como agente financiador
Conforme anunciado pelo Ministério do Planejamento no ano passado, o Banco do Brasil também passa a atuar como agente financiador do “Minha Casa, Minha Vida” – até então, apenas a Caixa Econômica Federal fazia esse papel. De acordo com o superintendente regional da instituição, Alexandro Rabelo, Muriaé é o primeiro município a firmar convênio com o BB para a construção de moradias populares.

Saiba como preparar um delicioso pudim de cenoura

Ingredientes
Pudim
3 cenouras
1 cebola
3 ovos
2 colheres (sopa) de farinha de trigo
1 tablete de caldo galinha com azeite
Meia xícara (chá) de leite morno
Manteiga para untar
Farinha de trigo para polvilhar

Cobertura
Meio copo de requeijão cremoso
1 colher (sopa) de salsa picada
1 colher (chá) de cebolinha verde

Modo de Preparo
Pudim:
Bata no liquidificador as cenouras, a cebola e os ovos até obter um purê. Passe para uma tigela, misture bem a farinha e adicione o caldo de galinha dissolvido no leite. Reserve. Despeje em uma fôrma com furo central (19 cm de diâmetro) untada e polvilhada. Leve ao forno médio (180 °C), em banho-maria e coberto com papel de alumínio, por cerca de uma hora ou até estar cozido.

Cobertura
Misture o requeijão cremoso com a salsa e a cebolinha e reserve. Desenforme o pudim morno e cubra com a cobertura de requeijão cremoso. Sirva a seguir.
Dicas:
– Esta receita é uma nutritiva sugestão de entrada ou até mesmo acompanhamento.
– As cenouras devem estar firmes e de cor intensa para o consumo, sem pigmentação verde ou roxa na parte superior. Embora não tóxica, a cor verde indica que a cenoura
é mais amarga.

Sobre a receita

Rendimento: 8 porções
Tempo de Preparo: 30 minutos

Morre o humorista Chico Anysio

Chico Anysio

O humorista, ator e escritor Chico Anysio morreu às 14h52 desta sexta-feira (23), aos 80 anos, em decorrência de falência de múltiplos órgãos. Chico não resistiu a uma parada cardiorrespiratória. A informação foi confirmada pela assessoria de imprensa do hospital Samaritano, onde ele estava internado, no Rio de Janeiro.

O velório de Chico deve acontecer no Theatro Municipal do Rio, e será aberto ao público. O corpo do comediante será cremado no domingo, ainda sem previsão de horário.

Chico estava internado desde o dia 30 de novembro de 2011. O humorista chegou a ter alta no dia 21 de dezembro, mas retornou à unidade médica no dia seguinte, 22 de dezembro, depois de apresentar hemorragia digestiva.

União entre dois homens consumada em cartório surpreende moradores de Manhuaçu

O casamento de Wanderson Carlos de Moura e Rodrigo Diniz dividiu opiniões em Manhuaçu, na Zona da Mata. “É meio estranho assim de cara, mas não tenho nada contra, não. Cada um tem seu jeito de ser feliz”, disse a estudante Ana Paula de Oliveira, que não conhecia quem se casava, mas se esgueirava na porta de entrada para ver melhor. No outro lado da rua havia uma plateia de 20 pessoas. “A que ponto se chega”, reprovou a aposentada Maria Izabel Pinheiro, de 80 anos, semblante sério. “Até aqui, tudo bem, mas no religioso não dá”, sentenciou a filha dela, a empregada doméstica Mônica Pinheiro, de 50.

Wanderson e Rodrigo dizem nunca ter sofrido qualquer tipo de preconceito na rua quando saem juntos, mas evitam andar de mãos dadas. “Tenho receio dos comentários”, justifica Wanderson. Uma viatura da Polícia Militar acompanhou a cerimônia no cartório. “Por ser uma situação atípica, tem gente que ainda não entende… isso aí, né?”, justificou um dos soldados de prontidão. Mas não houve qualquer transtorno no decorrer da cerimônia.

Fonte- UAI