Duas Comissões da ALMG realizaram em Muriaé a Audiência Pública do Polo da Piscicultura Ornamental da Zona da Mata

Deputado Estadual, Braulio Braz

Desde o ano passado é que a região de Muriaé é reconhecida como Polo Regional de Excelência em Piscicultura Ornamental da Zona da Mata, título conquistado graças à Lei 22.111/2016 de autoria do deputado estadual muriaeense, Braulio Braz. A Audiência Pública que aconteceu na Câmara Municipal de Muriaé atende ao Requerimento do deputado que trouxe a Muriaé, deputados representando duas Comissões da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG), são elas, Comissão de Desenvolvimento Econômico e Comissão de Agropecuária e Agroindústria. Entre os presentes, o presidente da Câmara Municipal de Muriaé, Carlos Delfim, muitos vereadores, o secretário adjunto de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento, o representante do Presidente da EMATER-MG, e ainda de órgãos estaduais como a EPAMIG, IEF, IMA e outros. Também presentes muitos piscicultores de toda a região. Segundo Braulio Braz, o objetivo da Audiência Pública foi discutir a aplicação da Lei 22.111, bem como políticas públicas para estimular a piscicultura ornamental. Lembrando que a Zona da Mata mineira é responsável por cerca de 70% da produção nacional de peixes ornamentais, criados em estufas ou tanques escavados. A atividade movimenta cerca de R$ 2 milhões mensais em oito municípios da região: Barão do Monte Alto, Eugenópolis, Miradouro, Muriaé, Patrocínio do Muriaé, Rosário da Limeira, São Francisco do Glória e Vieiras. “Desde que foi oficializado, o polo não recebeu repasses, nem auxílio do governo estadual. É de extrema importância o auxílio do governo para a ampliação e valorização do setor em nosso Estado”, concluiu Braulio Braz.

Militares do Tático Móvel apreendem 4 armas e cerca de 2 Kg de cocaína em operação no São Pedro

SEGUNDO A PM A DROGA E ARMAS PERTENCERIAM A UMA PESSOA QUE ESTÁ PRESA. A Polícia Militar de Muriaé, através da viatura Tático Móvel, prendeu um homem e apreendeu quatro armas e uma boa quantidade de cocaína (uma grande barra e várias buchas). O trabalho policial aconteceu no meio da tarde deste sábado, quando os militares, Sargento Rafael, Cb. Gilton e Cb. Neri, coordenados pelo Tenente Mello, após levantamento chegaram a uma residência onde estavam toda esta droga e o suspeito.

Inaugurada a Unidade Básica de Saúde do bairro Planalto

A Unidade Básica de Saúde do Planalto foi inaugurada na sexta-feira (10). Sua localização permitirá o acesso pela Rua Projetada e pela Rua Leon Dalla Paula (Planalto). A estrutura ampliará o número de atendimentos às famílias, contando com área para contorno de ambulâncias e estacionamento para pacientes. A UBS Planalto foi construída, inicialmente, em meio a um loteamento sem saídas, ela leva o nome de Irmã Maria da Glória Abreu. Este ano, ela recebeu uma via de acesso, com entrada pela Rua Projetada do Planalto. Para ter acesso pela via de baixo, a entrada é pela Rua Leon Dalla Paula, que servirá para reduzir distâncias para os moradores dos bairros Augusto de Abreu e Safira. UBS do Planalto está estruturada com Programa de Saúde da Família, contando com médico, enfermeira, auxiliares de enfermagem e agentes comunitários e Núcleo de Apoio a Saúde da Família (NASF), formado por profissionais de psicologia, assistência social, nutricionista, fisioterapia e preparador físico. Também terá espaço para a saúde bucal. A presidente da Associação de Moradores do bairro Planalto, Viviane Almeida esteve presente á solenidade, entre vereadores, secretários, o deputado estadual Dr. Wilson Batista entre outras autoridades

Temer questiona decisão que permitiu continuidade de investigações contra outros políticos do PMDB


O presidente Michel Temer (Foto: Eraldo Peres/AP)

A defesa do presidente Michel Temer pediu ao ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Luiz Edson Fachin que “reconsidere” a decisão na qual permitiu o prosseguimento das investigações em relação aos demais denunciados pela Procuradoria Geral da República (PGR) sem direito ao foro privilegiado. A decisão de Fachin foi tomada ao determinar o fatiamento do processo. Isso porque a Câmara refeitou o envio da denuncia contra Temer para o Supremo, mas outros denunciados pela PGR não têm direito ao foro privilegiado e, com isso, poderão ser processados na primeira instância. No ofício, enviado ao Supremo o advogado de Temer, Eduardo Carnelós, argumentou que a continuidade dos processos em relação a outros acusados levará ao “consistente e perigosíssimo risco de ocorrer colheita de prova sem a participação daqueles que, no futuro, poderão vir a ser atingidos por ela.” A manifestação não pede para Fachin reverter o desmembramento, mas alerta para a possibilidade de prosseguimento das investigações que indiretamente poderiam atingir Temer, sem que ele possa se defender. “Permitir que tal imputação tenha sequência em relação a alguns dos denunciados, e permaneça suspensa em relação a outros (dentre os quais, no dizer da absurda inicial acusatória, aquele que seria o líder da cerebrina organização criminosa), implica aceitar o risco de que, sem que estes últimos possam defender-se na eventual instrução criminal que venha a ser realizada, o julgamento dos fatos poderá atingir, irreversivelmente, aqueles que não puderam participar da colheita da prova, com prejuízo evidente a eles!”, diz a peça.

Moradores cobram melhorias em Praça no Bairro Dornelas

Os moradores do bairro Dornelas, em Muriaé estão indignados com a situação precária da única praça que deveria servir de lazer para a comunidade. Na área, é possível ver as péssimas condições dos equipamentos, bem como bancos, equipamentos de ginastica e calçada. Segundo os moradores da região, a praça nunca passou por reforma. O trabalhador rural, Paulo Roberto Souza, comenta que muitos deixaram de frequentar o pátio. “Tinham senhores, idosos, que vinham fazer caminhada, agora não vem mais porque a praça está ai, cheia de buracos. Estamos pedindo as autoridades que nós ajudem.

Suspeito de estelionato é preso pela PM com cerca de R$ 1 mil em notas falsas no bairro São José

Um homem foi preso pela Polícia Militar (PM), no bairro São José, suspeito por estelionato. Segundo os militares, na casa em que ele mora foram encontrados aproximadamente R$ 1 mil em notas falsas de R$ 20,00 e uma série de materiais que seriam utilizados para aplicar golpes, como falsos certificados de conclusão escolar, cartões magnéticos, três “maquininhas” de cartão de crédito, além de uma impressora e um notebook que teria sido comprado com dinheiro falso. O sargento José Roberto contou que a ação partiu de informações repassadas por um policial militar do município de Miracema, no Noroeste do estado do Rio de Janeiro – a cerca de 70 km de Muriaé -, de que o rapaz teria comprado um notebook naquela cidade usando notas falsificadas. De acordo com o sargento, após apurarem o endereço do suposto golpista, por meio do sistema de rastreamento do computador portátil comprado em Miracema, militares de Muriaé cercaram a residência do suspeito que, conforme o policial, confessou o golpe aplicado na compra do aparelho. Durante buscas no imóvel a PM encontrou os materiais apreendidos, e ainda segundo o sargento José Roberto, o rapaz provavelmente integra uma quadrilha de estelionatários e o envolvimento de outras pessoas será apurado pela Polícia Civil (PC). O homem detido e todo o material recolhido foram levados para a delegacia do bairro Safira.

Com informações – Radio Muriaé

ANS anuncia novos procedimentos que planos de saúde deverão cobrir

ANS inclui 18 novos procedimentos disponíveis em planos de saúde (Foto: valelopardo/Pixabay)

A Agência Nacional de Saúde (ANS) divulgou uma nova lista de procedimentos que deverão ter cobertura obrigatória pelos planos de saúde a partir do dia 2 de janeiro de 2018. Foram acrescentados 18 procedimentos à lista, entre exames, terapias e cirurgias. Também será ampliada a cobertura para outros sete procedimentos, incluindo medicamentos orais contra o câncer e um remédio para tratamento de esclerose múltipla, algo inédito no Rol de Procedimentos, segundo a ANS. Com relação ao preço, a ANS diz que após a ampliação dos procedimentos obrigatórios há uma avaliação que dura um ano. Caso seja identificado um impacto financeiro depois desse prazo, será feita uma avaliação para o cálculo de reajuste no ano seguinte. Por isso, por enquanto, não haverá alta nos valores.