‘Não há alternativa’, diz novo presidente do Bradesco sobre reforma da Previdência

Octavio de Lazari Junior é nomeado presidente do Bradesco

O novo presidente do Bradesco, Octavio de Lazari Junior, afirmou que a aprovação da reforma da Previdência é fundamental para reduzir o rombo das contas públicas e melhorar as perspectivas econômicas para o Brasil e disse que acredita ao menos parte da reforma seja aprovada ainda neste ano pelo Congresso. “Pode ser que não venha exatamente do tamanho que a gente gostaria, mas o importante é que seja dado o primeiro passo”, disse Octavio. O novo presidente avaliou que o ano 2018 deverá ser “muito melhor” do que os anteriores, em termos de atividade econômica.

fonte: agencia de noticias

Homem é morto a tiros e outros 2 são baleados no Gaspar o segundo homicídio do ano

Deyvson Douglas Dias Lataliza (21) foi atingido com 4 tiros e ainda correu para casa, onde morreu

Um homem foi morto e outros dois foram feridos em um atentado a tiros, ocorrido no bairro Gaspar na noite deste sábado (10). Os feridos foram hospitalizados sendo um deles socorrido pelo corpo de Bombeiros e o outro por meios próprios. Policiais militares e a perícia da Policia Civil estiveram no local e ainda não há detalhes sobre autoria e motivação do crime, que será investigado. No local a polícia e o socorro depararam com um homem caído na porta de uma casa, já sem vida, identificado como Deyvson Douglas Dias Lataliza, 21 anos de idade, mais conhecido como “Deivim” e outros dois que haviam sido baleados foram socorridos por Bombeiros e particulares e levados para o HSP. A Perícia Técnica da Polícia Civil foi para o local, realizou os trabalhos de praxe e liberou o corpo para o local. A PM faz levantamentos para ver se chega aos autores. As investigações ficarão a cargo da Polícia Civil.

Com informações e fotos – Radio Muriaé

Prefeitura de Muriaé faz avaliação do sistema livre de funcionamento das farmácias e drogarias

A Prefeitura de Muriaé faz uma avaliação positiva com relação ao novo sistema funcionamento livre das farmácias. Esta semana divulgou que alguns estabelecimentos estão abrindo de segunda a domingo, entre 7h e 22h, para possibilitar que os clientes possam adquirir seus remédios em horários estendidos e que a mudança foi definida pela Prefeitura através de Decreto criado em 1º de junho de 2017, permitindo que os estabelecimentos possam funcionar em horários sem restrições e em todos os dias da semana. “A medida facilita a vida dos muriaeenses, ampliando o tempo de funcionamento, facilitando a tomada de preços e oferecendo maiores opções de escolha. O novo formato de funcionamento estimula a concorrência e oferece aos clientes melhor qualidade de atendimento e oferta de preços. A mudança foi implantada atendendo uma recomendação do Ministério Público de Minas Gerais. O documento atual anula o antigo artigo de outro Decreto, publicado em 2010, que determinava horários rígidos para o funcionamento dos estabelecimentos que não estivessem de plantão. Porém, é valido lembrar que o sistema de rodízio entre as farmácias para o cumprimento dos plantões diários continua funcionando, atendendo à legislação federal” ressalta a assessoria. “As farmácias de Muriaé já podem e devem ter a liberdade de abrir as portas em horários que lhes possibilite atender melhor aos seus clientes. Nosso objetivo é que elas trabalhem da melhor forma possível e que tenham oferta de produtos para atender a população nos mais variados horários em que ela precisar de um medicamento de urgência. Deixo claro que o Decreto não obriga os pontos comerciais a funcionarem em horário estendido ou integral. A medida permite a livre escolha de cada um”, disse o prefeito Grego.

Relator da Previdência admite flexibilizar acúmulo de pensão e regra para servidores

deputado Arthur Maia (PPS-BA) fala sobre mudanças na reforma da Previdência

O relator da reforma da Previdência, deputado Arthur Maia (PPS-BA), afirmou que mudanças devem ser feitas no texto da proposta para ampliar o limite de acúmulo de benefícios. Também deve ser incluída uma regra de transição para servidores públicos que ingressaram no serviço antes de 2003. O deputado disse que a ideia é permitir que o limite para acúmulo de pensões sejam o teto do INSS (R$ 5.531,31). Na versão atual do texto, o valor máximo está em dois salários mínimos (R$ 1.908,00). “Eu acho que nesses casos de pessoas muito pobres, você aumentar para o teto do INSS não seria nada demais”, disse o deputado. Para os servidores que começaram a trabalhar antes de 2003, Arthur Maia afirmou que uma regra de transição será incluída no texto, com o objetivo de que essas pessoas atinjam a idade mínima após um período. Segundo ele, a regra transitória deve durar 10 anos. No caso dos trabalhadores da iniciativa privada, a transição será feita ao longo de 20 anos. “Isso deverá ser incluído sim”, disse. “(A idade mínima do servidor) começaria com 60 anos de idade, que já é o que já existe, e teria uma transição de dez anos, até chegar a 65 anos”, explicou.

Coleta de sangue é realizada com sucesso em Muriaé

A segunda campanha de doação de sangue de 2017 em Muriaé aconteceu nesta quarta-feira. A coleta foi realizada no Posto Avançado do Hemominas, localizado na policlínica do bairro Safira. De acordo com a coordenadora do serviço de coleta de sangue, Illen Nara, é fundamental que a população participe ativamente da campanha. “No período de férias, normalmente os estoques estão baixos, mas a demanda é sempre grande. A participação dos muriaeenses é muito importante”, afirma. Uma nova coleta será realizada no dia 22de fevereiro.

FOTOS – APOIO – TRIBUNA DE MURIAÉ

Pimentel decide desativar prédio da Cidade Administrativa


Palácio Tiradentes, na Cidade Administrativa

O governador de Minas, Fernando Pimentel (PT), bateu o martelo e vai desativar, de vez, o Palácio Tiradentes, transformado em sede do governo em 2010 pelo então chefe do Executivo Aécio Neves (PSDB). O edifício integra o complexo Cidade Administrativa Presidente Tancredo Neves, na região Norte de Belo Horizonte, e é uma das últimas obras do arquiteto Oscar Niemeyer. O motivo alegado pelo Estado para esvaziar o prédio é economia nos gastos. Segundo o governo, que se recusa a classificar o edifício como “palácio”, o objetivo é reduzir em pelo menos 40% gastos com insumos diversos, manutenção rotineira e com o consumo de água e energia elétrica. “O Edifício Tiradentes gera uma despesa anual de cerca de R$ 5 milhões. A realocação já está em andamento e será concluída nos próximos dias. A medida vem sendo conduzida de modo a não afetar a normalidade das rotinas de trabalho”, informou a assessoria de imprensa. O Palácio Tiradentes abrigava, além do gabinete do governador, a Vice-Governadoria, o Gabinete Militar, Cerimonial, Assessoria de Imprensa, além das secretarias de Governo e da Casa Civil. Esses órgãos estão sendo realocados nos prédios Minas e Gerais, que integram o complexo administrativo estadual. Segundo interlocutores, o vice-governador Antônio Andrade (MDB), desafeto de Pimentel e que mantém gabinete no prédio, sequer foi comunicado da decisão. Desde que foi inaugurada, a Cidade Administrativa foi um dos principais alvos de críticas do PT. Os custos de todo o complexo ultrapassaram os R$ 2 bilhões, bancados pela Companhia de Desenvolvimento de Minas Gerais (Codemig). Após a deflagração da operação Lava Jato e as delações de executivos de empreiteiras, a obra passou a ser investigada pela Justiça brasileira. Por isso mesmo, quando assumiu o Estado em 2015, a primeira providência de Pimentel foi ignorar o legado deixado pelos governos tucanos em Minas.

FONTE: GOV. DE MINAS