Bolsonaro decide ‘implodir’ o Inmetro e anuncia demissão de toda a diretoria do órgão

O presidente Jair Bolsonaro afirmou ) que decidiu “implodir” o Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro) e anunciou a demissão de toda a diretoria do órgão.O Inmetro é a autarquia federal responsável por executar políticas nacionais de metrologia, fiscalizar o cumprimento de normas técnicas, métodos e instrumentos de medição e unidades de medida..“Implodi o Inmetro. Implodi. Mandei todo mundo embora. Por quê? Há poucos meses assinaram portaria para trocar tacógrafos. Em vez de ser o normal que está aí, inventaram um digital. Ele é aferido de dois em dois anos. Passaram para um. Mandei acabar com isso aí”, declarou.Segundo Bolsonaro, a portaria do Inmetro iria prejudicar taxistas. “Começou no Rio, não sei se veio para São Paulo, trocar os taxímetros. Mas por quê? Quatrocentos cada um. Os tacógrafos, 1.900. Multiplique por milhões de veículos que mexem com tacógrafos. Táxi só no Rio são 40 mil”, disse.“Não temos que atrapalhar a vida dos outros. É facilitar a vida de quem produz. Os novos taxímetros, faça diferente. Os novos tacógrafos, tudo bem. Agora, tirar do pessoal, trocar, não. Então, o que eu tenho que fazer? Implodir.” Por isso, afirmou, decidiu “cortar a cabeça de todo mundo”. De acordo com Bolsonaro, foram demitidos a “presidente e uma meia dúzia da diretoria”. Além da presidência, o Inmetro tem seis diretorias: Diretoria de Administração e Finanças; Diretoria de Avaliação da Conformidade; Diretoria de Metrologia Aplicada às Ciências da Vida; Diretoria de Metrologia Científica e Tecnologia; Diretoria de Metrologia Legal e a Diretoria de Planejamento e Articulação Institucional.

Tradicional Missa de Cinzas reúne fieis na Igreja Matriz São Paulo

Centenas de fieis lotaram a igreja Matriz São Paulo para participarem da tradicional “Missa de Cinzas”.A celebração foi conduzida pelo Pe. Átila Latini que explicou a importância da data para a igreja católica. Um dos momentos mais aguardados e emocionantes foi quando os fieis, em ato de reverência e arrependimento, foram até o altar para receber o sinal da cruz em cinzas.

Para os católicos a quarta-feira de cinzas representa o início da quaresma. Um período em que os fieis se arrependem de seus pecados e se purifiquem até a Semana Santa, data em que é lembrada a morte e ressurreição de Cristo. Para os católicos a quarta-feira de cinzas representa o início da quaresma. Um período em que os fieis se arrependem de seus pecados e se purifiquem até a Semana Santa, data em que é lembrada a morte e ressurreição de Cristo.

 

 

Servidores do Legislativo e Judiciário são os que terão que contribuir com os maiores valores para a Previdência

Com os salários mais altos da esfera pública, os servidores dos poderes Legislativo e Judiciário são os que terão que contribuir com os maiores valores para a nova Previdência. A reforma da previdência promulgada pelo Congresso , determinou o aumento da alíquota de contribuição, que poderá chegar a 22% sobre a parcela que exceder o teto de R$ 39 mil de salário.Um levantamento feito pelo Ministério da Economia – ainda quando a reforma estava sendo debatida – mostrou que o salário médio dos servidores ativos no Legislativo era de R$ 20.210,50, o mais alto entre todos os poderes. No Judiciário, a remuneração média chega a R$ 14.232,88.

Os salários mais baixos entre os poderes públicos estão no poder Executivo. A média é de R$ 9.752,51. Há ainda os servidores do Ministério Público, cuja remuneração média é de R$ 14.726,44..

A reforma da Previdência alterou a contribuição dos funcionários públicos, que têm o chamado regime próprio. Hoje, os que ingressaram no serviço público até 2013 pagam 11% de todo o seu salário, mas aqueles que aderiram ao fundo de previdência complementar dos servidores, o Funpresp, contribuem com 11% até o teto do regime geral (R$ 5.839,45), porque têm o benefício limitado a esse valor. Os que entraram depois de 2013 também contribuem com 11% até o teto, pelo mesmo motivo.

Com a mudança, o regime dos servidores vai ser unificado com o dos trabalhadores do setor privado. Mas os servidores públicos com altos salários e há bastante tempo no cargo terão que contribuir com alíquotas mais altas.

Receita Estadual investiga esquema de notas frias em 80 empresas; irregularidades somam R$ 30 mi

A Receita Estadual de Minas Gerais iniciou a operação “Espectro”, tendo como alvo 80 empresas, supostamente de fachada, criadas para “esquentar” mercadorias sem procedência e sonegar impostos se valendo da emissão de notas fiscais “frias”. A fiscalização em campo envolveu 180 servidores, em 47 municípios mineiros. O volume de operações praticadas por tais empresas com notas frias pode alcançar R$ 30 milhões ,As investigações foram conduzidas por um grupo de auditores fiscais da Receita Estadual, que trabalhou sobre um universo de aproximadamente 10 mil empresas – dos segmentos de indústria, atacado e varejo -, a partir do cruzamento de dados dos contribuintes. Foram minuciosamente analisados itens como a capacidade financeira dos sócios; as estruturas físicas dos estabelecimentos; e empresas com objeto social distinto do tipo de operações que executa. entre os principais setores fiscalizados na operação destacam-se os de metalurgia, plásticos, têxtil, calçados, bebidas, combustíveis, cigarros, automotores, material de construção e móveis. Carlos Renato Machado Confar, superintendente de Fiscalização, afirma que “a Receita Estadual trabalha no combate à sonegação para garantir um ambiente de concorrência leal para quem investe ou quer investir em Minas Gerais.” Confar reiterou que as ações do Fisco mineiro são voltadas para a mudança de comportamento dos contribuintes, ampliação da base de tributação e crescimento da arrecadação, permitindo ao Governo do Estado implementar suas políticas públicas

Operação “Espectro” mira em organizações que seriam de fachada, criadas para “esquentar” mercadorias e sonegar impostos

Confar reiterou, ainda, que as ações do Fisco mineiro são voltadas para a mudança de comportamento dos contribuintes, ampliação da base de tributação e crescimento da arrecadação, permitindo ao Governo do Estado implementar suas políticas públicas.
A operação foi realizada nos seguintes municípios:
1. Alterosa
2. Andradas
3. Antônio Prado de Minas
4. Araguari
5. Arceburgo
6. Belo Horizonte
7. Betim
8. Boa Esperança
9. Bom Despacho
10. Brasilândia de Minas
11. Cláudio
12. Contagem
13. Corinto
14. Delta
15. Divinópolis
16. Elói Mendes
17. Extrema
18. Formiga
19. Governador Valadares
20. Itaobim
21. Jacutinga
22. Juiz de Fora
23. Malacacheta
24. Manhuaçu
25. Monte Belo
26. Muriaé
27. Nova Lima
28. Ouro Fino
29. Paracatu
30. Passos
31. Perdizes
32. Poços de Caldas
33. Ponte Nova
34. Pouso Alegre
35. Riachinho
36. Rio Paranaíba
37. Santa Rita do Sapucaí
38. Santana do Paraíso
39. São João del-Rei
40. Sarzedo
41. Sete Lagoas
42. Teófilo Otoni
43. Tocantins
44. Três Corações
45. Uberaba
46. Uberlândia
47. Visconde do Rio Branco

Fonte : Agência Minas