Servidores do Legislativo e Judiciário são os que terão que contribuir com os maiores valores para a Previdência

Com os salários mais altos da esfera pública, os servidores dos poderes Legislativo e Judiciário são os que terão que contribuir com os maiores valores para a nova Previdência. A reforma da previdência promulgada pelo Congresso , determinou o aumento da alíquota de contribuição, que poderá chegar a 22% sobre a parcela que exceder o teto de R$ 39 mil de salário.Um levantamento feito pelo Ministério da Economia – ainda quando a reforma estava sendo debatida – mostrou que o salário médio dos servidores ativos no Legislativo era de R$ 20.210,50, o mais alto entre todos os poderes. No Judiciário, a remuneração média chega a R$ 14.232,88.

Os salários mais baixos entre os poderes públicos estão no poder Executivo. A média é de R$ 9.752,51. Há ainda os servidores do Ministério Público, cuja remuneração média é de R$ 14.726,44..

A reforma da Previdência alterou a contribuição dos funcionários públicos, que têm o chamado regime próprio. Hoje, os que ingressaram no serviço público até 2013 pagam 11% de todo o seu salário, mas aqueles que aderiram ao fundo de previdência complementar dos servidores, o Funpresp, contribuem com 11% até o teto do regime geral (R$ 5.839,45), porque têm o benefício limitado a esse valor. Os que entraram depois de 2013 também contribuem com 11% até o teto, pelo mesmo motivo.

Com a mudança, o regime dos servidores vai ser unificado com o dos trabalhadores do setor privado. Mas os servidores públicos com altos salários e há bastante tempo no cargo terão que contribuir com alíquotas mais altas.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.